Sexta-feira, 18.11.16

Viu a vida a passar-lhe diante dos olhos. Optou por não a cumprimentar.



publicado por joao moreira de sá às 15:25 | link do post | comentar
|

Ela submergia-o em ondas de paixão. Até que um dia o afogou. 

 


publicado por joao moreira de sá às 13:24 | link do post | comentar
|

Quinta-feira, 16.06.16

Pensou viver da caça. Mas ficava estranho entrar no talho com arco e flecha. 

 


publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Quarta-feira, 15.06.16

Um dia, decidiu ir e foi. Depois voltou, como fazia todos os dias.

 



publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Terça-feira, 14.06.16

O paraquedas não abriu. Caiu com estrondo no chão. Maldito sonho.

 



publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Sábado, 11.06.16

Gostava de ver o pôr do sol sentado na velha cadeira de baloiço, debaixo do alpendre. Era por isso que detestava aquele apartamento.

 



publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Sexta-feira, 10.06.16

Uns dias, subia pelas escadas e descia no elevador, noutros dias, fazia precisamente o contrário. 

 



publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Quinta-feira, 09.06.16

Não foi preciso ela dizer nada.

 



publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Quarta-feira, 08.06.16

Abriu a janela. O mundo lá fora tinha mudado pouco. Voltou a fechar.

 



publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Terça-feira, 07.06.16

Percebeu que estava em maus lençóis. Mudou para outros.

 



publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Segunda-feira, 06.06.16

A sua grande paixão era escalar montanhas. Mas não as sabia descer.

 



publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Domingo, 05.06.16

Adorava o cheiro a café pela manhã. Nunca fazia.

 



publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Sábado, 04.06.16

Molhava os lençóis com água do mar para dormir com ela.

 



publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Sexta-feira, 03.06.16

Não conseguia evitar contar os dias.

 
 
 
 


publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Quinta-feira, 02.06.16

Olhou as pedras da calçada. Não chegou a conclusão nenhuma. Seguiu em frente.

 



publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Quinta-feira, 26.05.16

Sempre que pensava ir contemplar as estrelas, estava enevoado. Quando não estava, nunca lhe apetecia.

 
 
 
 


publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Quarta-feira, 25.05.16

O único medo, ao deitar-se ao lado dela, era danificar o retrato.

 



publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Quarta-feira, 13.04.16

Deixava-lhe palavras escritas na areia. Diziam que o mar as apagava. Sabia que era ela que as levava.



publicado por joao moreira de sá às 13:35 | link do post | comentar
|

Terça-feira, 01.03.16

Não havia maior solidão do que aquela de não estar sozinho.

 



publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Segunda-feira, 29.02.16

Chegava a acreditar que o futuro pudesse ser bem passado. 

 



publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Sexta-feira, 05.02.16

Uma vez experimentou abrir a janela, mas o mundo fazia muito barulho. 

 



publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Quinta-feira, 04.02.16

Gostava particularmente dos dias de chuva, quando ninguém percebia que parte do rosto eram lágrimas.

 



publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Quarta-feira, 03.02.16

Gostava de estar assim no escuro a que só uma lâmpada dava luz. Subiu ao escadote e trocou-a por uma fundida.

 



publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Terça-feira, 02.02.16

Não sabia onde ela morava, escrevia-lhe cartas que colocava no correio sem destinatário.

 



publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Segunda-feira, 01.02.16

E ter tanto para dizer. E a alma só gritar silêncio.



publicado por joao moreira de sá às 15:02 | link do post | comentar
|

A meio de agrafadores e pilhas de papel, deixava-lhe escondidas, escritas à mão, as palavras que sabia que ela gostava de ler. 



publicado por joao moreira de sá às 14:54 | link do post | comentar
|

Sexta-feira, 07.08.15

Viu a maçã soltar-se e cair, como câmara lenta,. mas se se desviasse saía da sombra.



publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Quarta-feira, 05.08.15

Um dia estava por ali distraído e percebeu o sentido da vida. Mas estava por ali distraído.



publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Terça-feira, 04.08.15

Deu por si numa daquelas estória de nunca se poderem encontrar e saberem que nunca se vão poder separar. E era real. E não soube o que fazer.



publicado por joao moreira de sá às 12:30 | link do post | comentar
|

Segunda-feira, 03.08.15

Bateu pela primeira vez à porta que tinha acabado de ser fechada pela última vez



publicado por joao moreira de sá às 12:32 | link do post | comentar
|

Creative Commons License
Este Blog está licenciado sob uma Licença Creative Commons.

Micro Cuts



CONTÉM CONTO MEU (já editado Comprar: AQUI
Ocultos Buracos

Promote Your Page Too

VAI CONTER CONTO MEU (pelo Natal, mas já podem clicar na imagem)



mais sobre mim
links
cuts recentes

Vidas

(a)mar

Carne

Diário

Voo

Sol

Dias

Ali

Janela

Situação

arquivos
Twitter
Joao Moreira de Sa



subscrever feeds