Segunda-feira, 5 de Agosto de 2013

Todos os dias recordava com um arrependimento que o prendia a um prazer de memória, o dia em que a deixara ir. O dia em que ela lhe disse não querer ir. O dia em que não segurara a sua mão. O dia em que não pedira, fica. O dia que o faria viver alimentando-se de se's da imaginação do que nunca tendo sido, é um sítio mais bonito para viver. Um sítio onde havia ela.



publicado por joao moreira de sá às 12:48 | link do post | comentar
|

Creative Commons License
Este Blog está licenciado sob uma Licença Creative Commons.

Micro Cuts



CONTÉM CONTO MEU (já editado Comprar: AQUI
Ocultos Buracos

Promote Your Page Too

VAI CONTER CONTO MEU (pelo Natal, mas já podem clicar na imagem)



mais sobre mim
links
cuts recentes

Vidas

(a)mar

Carne

Diário

Voo

Sol

Dias

Ali

Janela

Situação

arquivos
Twitter
Joao Moreira de Sa



subscrever feeds